o otimista mudado

.
.
.
............... Esmorece, mundo sem pressa
............... Tua meta é falsa como a besta
............... Latindo sem consciência
............... Esmorece, mundo às avessas
............... Tua pressa oca é de ovo sem gema
............... E a clara escura é de pura gangrena
............... Se mancha, mundo sem jaça
............... Tua asa há muito já foi desfolhada
............... Sem nem bem se sentir alçada
............... Se apaga, mundo sem chama
............... Teu círio não se eleva além da conta
............... E a parafina grossa não se altera
............... Se acaba, mundo sem nada
............... Tudo são plutônios condenados
............... Cindidos em latência

.
jul.98
.
.
.

Nenhum comentário: