geraldo com texas

.
.
.
Aqui, entre a Geraldo Bourroul e a Rua Texas, esta rua brasileira de nome gringo, existe um botequinho de esquina que se mantém antigo, na mesma atitude, no balcão de mármore, na cachaça, no tamanhinho. Outros havia; aquele, da outra esquina, hoje tem chão moderno, cerâmica xadrez de quadrados brancos e pretos; um outro virou quase-restaurante; os outros foram abaixo. Aquele primeiro, este, o da esquinazinha aqui perto, ainda oferta a marca de copo, a cachaça nele, o bebente apoiado, o balcão-lhe embaixo. O balcão-lhe embaixo. De mármore aberto, branco antiquado. Mas São Paulo é tão na vibração do abismo, que sinto que ao terminar esse escrito o bar já não mais existe.
.
abr.09
.
.
.

Nenhum comentário: