memória

.
.
.








































































.
.
.

5 comentários:

Flávia Ferraz disse...

Eu já tinha visto isto?

HA disse...

ual! também quero jogar! chame as gêmeas pra participarem, pr'eu ver as carinhas delas diante de tanta belezura de desenhos duplos, que nem as carinhas delas!

bia reinach disse...

Lembrei-me de Sto. Agostinho,

"Por "passado" queremos dizer então a presente experiência da memória de uma coisa passada; por "futuro", a presente expectativa ou antecipação de uma coisa futura".
Confissões

edu brito disse...

E olha aí o Blaise Pascal, dona Biá, nas ´Pensées´:
"Que chacun examine ses pensées, il les trouvera toutes occupées au passé ou à l´avenir. Nous ne pensons presque point au présent, et si nous y pensons, ce n´est que pour en prendre la lumière pour disposer de l´avenir. Le présent n´est jamais notre fin. Le passé et le présent sont nos moyens, le seul avenir est notre fin. Ainsi nous ne vivons jamais, mais nous espérons de vivre, et nous disposant à être heureux, il est inévitable que nous ne le soyons jamais."

bia reinach disse...

Não tem saída...é só quando a água escorre no corpo, o sol dói nos olhos, só as sensações nos fazem no presente; o pensamento talvez não pertença a tempo algum...nós o categorizamos para entender...para pensá-lo...organizá-lo. Dar nome(s) pois, "nus na neblina funda,
nus, na neblina funda,
nus na neblina, fundos
e
o gosto adiposo de um (sonho)
Não,não é pouco"