a fonte

.
.
.
.............. .............. Ouve a fonte translúcida da quinta
.............. .............. Cercada de varandas onde a ausência
.............. .............. De alguém eterna mora e se debruça.
.
Sophia de Mello Breyner Andresen
Coral, 1950
.
.
.

5 comentários:

bia reinach disse...

Que lindo !!!
Quem é ela, a Sophia?

edu brito disse...

sabia que você ia gostar. é uma graaande poeta portuguesa. e um dos últimos discos da maria bethânia é inspirado/baseado na obra dela... lindo disco.

bia reinach disse...

Você sabe aonde eu posso conhecer mais poemas da Sophia?

edu brito disse...

na internet tá cheio de coisa... mas aqui no brasil, que eu saiba, tem o livro que a companhia das letras lançou: um "poemas escolhidos", uma linda seleção (de onde tirei esse), na capa é uma janela.

bia reinach disse...

Edu, já comprei, é lindo, lindo, lindo!!!
Puxa, obrigada pela apresentação.