quando digo baú, penso assim

.
..

.
.
.
Ziraldo, uma de suas ilustrações ´astronáuticas´
.
.

.

céu

.
.
.
.................. .................. A criança olha
.................. .................. Para o céu azul.
.................. .................. Levanta a mãozinha.
.................. .................. Quer tocar o céu.

.................. .................. Não sente a criança
.................. .................. Que o céu é ilusão:
.................. .................. Crê que o não alcança,
.................. .................. Quando o tem na mão.
.
Manuel Bandeira
Belo Belo, 1948
.
.
.

filófago

.
.
.
.............. A paixão pelos livros de repente volta
.............. Invencível
.............. A literatura, a letra, a linha, o grifo

.............. Nas estantes dorme em paz cada escrito
.............. Possível
.............. A ampla dobra, a pálpebra, o cílio, re-vivo

.............. Se aberto está meu ritmo
.............. Abre-se a rítmica do livro
.............. (Ou devo dizer alma, almas
.............. Nós todos elas
.............. Nítidos)
.
jan.97
.
.
.
.
.
.
.

ritmia

.
.
.
...................... Coração
...................... que brutalidade te ser
...................... impacto
...................... de mil facetas olho de mosca ao sol.
...................... Coração
...................... desastre?
...................... não pode ser
...................... acaso de mar sargaço na mancha de óleo.
...................... Quanta exatidão
...................... de fibra
...................... pulso
...................... sangue
...................... encharcado.
...................... Quanta explosão
...................... átomos
...................... a cadeia muscular é de uma atenção no Espaço
...................... estrelas que nascem
...................... tacho
...................... luminoso via-lácteo.
...................... Coração.
...................... Do alto da corte o rei faz sinal
...................... lenço sujo
...................... ruirão impérios.
...................... Do alto da torre Rapunzel dá adeuses
...................... sofreguidão de fios
...................... faltar-se-ão salvamentos.
...................... Tu: persistes.
...................... Coração, mistério
...................... oco que do olho do mundo dá seu ritmo.
...................... Eco.
...................... Con
...................... tato.
...................... Con
...................... tato.
.
jun.10
.
.
.
.

.