caneta preta

.
.
.
.................... Caneta preta
.................... te pego
.................... – desdouro –
.................... não há nada em mim pra te riscar
.................... Caneta preta
.................... você não pega de mim
.................... – me minera –
.................... não me faz risco aflorar
.................... porque você é morta
.................... não existe quase
.................... Mas em você em ti Caneta Preta
.................... há uma carga preta co'a tinta preta negra
.................... como a cor preta de noite e de dia
.................... – carga carregada de tudo
.................... e você sabe que esse tudo é muito
.................... Caneta Preta
.................... você existe
.................... mas é parada

.................... Caneta Preta você sorriu
.................... pra mim me avisando de ti
.................... e te descrevo com você isso que sou eu
...................................... me escrevendo ao saber em ti
...................................... o que tenho de negro em mim com carga
...................................... sorrindo ao riscar enfim
...................................... isso que só pode ser nós

.
set.92
.
.
.
.

Um comentário:

bia reinach disse...

Edu,
você olha, olha mesmo e o mundo te diz em ti. E vi, quase que apartados do mundo, únicos, você e a caneta preta, conversando.
bia