VV 26

.
.

.............................................. Só a lua se banha
.............................................. – Lua gorda e branca –
.............................................. Na piscina verde.
.
........................................................ Manuel Bandeira, Piscina
.
.

.............................................. Agora meio rosto agora inteiro
.
........................................................ Luís de Camões, Os Lusíadas – V, 24
.
.

(sala) ..... O dia inteiro o céu branco, céu “de hojalata” como diria Cortázar (La Noche del Transgresor), a renda das árvores impressa nesse papel de parede luminoso no teto de luz lisa, bruega, mas não passageira, a neve deve ser parecida mas não de gotas tão finas e não tão invisíveis, um calendário indica que segundo as datas a Lua hoje será uma trisca de início de crescente, ontem foi nova, de reinício de crescente ou início de recrescente quando terá sido o seu crescimento pela primeira vez, hoje parece que não haverá nada, todas as piscinas de águas apagadas, sua cara solar no céu da noite nem meia nem toda, não se mostrará, aliás já pode-se ver (janelão fundos) já pode-se não vê-la. Estará lá por trás, brilhando a cama das nuvens; estará lá além, levitada no mundo; estará ainda que trisca lá farol iluminando por uma fresta, e assistindo-nos. O amolador de facas e tesouras é um homem que usava uma bicicleta e agora é uma motocicleta em cujo motor faz correr a lixa, seu pregão típico e antigo das redondezas: al-moladoooooooooo-rê!; o do caminhão de gás são cinco notas longas, duas mais juntas no início as três mais ligadas depois; o das sirenes passando perto passando longe passando perto, o das sirenes que todo mundo conhecemos. Mas isso foi à tarde, agora é o céu em silêncio de nuvens impecáveis ou é uma grande nuvem que se manteve e reverberou esses sons, será que eles chegam ao ponto de reverberarem na pedra, pedra de areia e crateras do satélite natural. De novo de volta, baixíssimas frequências, delicadas, ela assistindo de luz e sons, de calor, a noite de nuvens majestosas, renda das copas, flandres, folha de lata, horralata, nervuras, eletricidade.
.

16 11 01
.
.

Nenhum comentário: