dia(s) II

.
.
(poema desentranhado de outro lapso)
.
.
.
.................... um dia feneço, um dia arquiteto
.................... um dia ladrilho, um dia só escoro
.................... um dia regurgito, tipos esquisitos
.................... um dia escaras das pálpebras dos meus ossos roxos

.................... um dia sempiterno, um dia átimo
.................... que ótimo, um dia digno
.................... um dia que deu certo e um dia errado
.................... no dia que deu errado o erro no ensolarado meio-dia

.................... um dia descanso, um dia trabalho
.................... um dia trabalho, um dia desamparo
.................... um dia desamparo, inquieto
.................... um dia nem o polvilho esfacelado e flácido no ralo da pia

.................... um dia concerto, um dia o maestro
.................... um dia baqueta, menos sinfônico
.................... um dia radiofônico, do outro lado do mundo
.................... um dia o músico errando a melodia no quarto do hotelzinho

....................
.................... um dia alavanca, um dia eco
.................... um dia alivia, um dia pedregulho
.................... um dia peco e um dia peco
.................... um dia peco e logo quando: os pecados não existiam
....................
.................... um dia bravático, um dia coragem
.................... um dia corado, um dia nublo
.................... um dia nuvem, nuvem de novo
.................... e o sol é um lago sempre aceso atrás de tudo
....................
.................... um dia sonho, um dia solidifico
.................... um dia suo, um dia sublimo
.................... um dia sumo, um dia apareço
.................... e nas dúzias de pares em conflito um dia lembro, esqueço
....................
.................... um dia lampejo, um dia labirinto
.................... um dia morcego, pirilampo sendo
.................... um dia o manejo, faca luzindo
.................... e os brilhos os brilhos brilhos, noite adentro
....................
.................... um dia no discurso, um dia o verbo
.................... um dia cancelo, afirmativo
.................... um dia o mar vivo, infinito
.................... e os vapores emanando, até no dia extinto
....................
.................... um dia é vinho, outro sabugo
.................... um dia milho, ajoelho
.................... um dia hino, não canto
.................... um dia o galo e o vento e o campanário e o deserto
....................
.................... um dia, amigo, nos encontramos
.................... um dia esta marca no barro, rastilho
.................... um dia o pavio é curto, corto
.................... um dia é comprido, e não cortamos


.................... um dia o dia é 24h e até logo
.................... um dia o relógio está sozinho e os cômodos
.................... um dia badalo e um dia ampulhetas no escuro
.................... um dia é o som das areias infiltrado pelos canos nem tão subterrâneos da cidade erodida
....................
.................... um dia sossego, um dia aplauso
.................... um dia conserto, fechado para balanço
.................... um dia o vendedor de aço no cruzamento
.................... e a dureza repentina escaldada no dia, diário
....................
.................... um dia é o sabugo, um dia espantalho
.................... um dia é corvos, vomitando gritos
.................... um dia saem dos quadros, os corvos pintados
.................... e os gritos os gritos os gritos, um dia, até quando
....................
.................... um dia esbarro, um dia arremesso
.................... um dia tráfego, um dia entulho
.................... um dia carrego o documento
.................... semeio – um dia – o festejo público no campo aberto
....................
.................... um dia cinema, um dia ao vivo
.................... um dia concordemos: terceiro apito
.................... um dia não há circo, nem mastro
.................... um dia o consolo, só vendo, estará na chuva escorrendo a cada gota cada pingo
....................
.................... um dia o sol, um dia o jarro
.................... o jarro derrama o sol, na mesa a frio
.................... um dia tremendo, pelo conflito
.................... mas a mesa sustenta: o brilho, e o dia do jarro em fogo e o próprio jarro fixo
....................
.................... um dia lava, um dia lavo
.................... um dia frenético, findo
.................... um dia finda, o fim do dia, dia fim, um, absoluto, abstrato
.................... dia
.
.
fev.07
.
.

Nenhum comentário: