dia(s) III

.
.
.
.
.................... um dia claro, um dia escuro
.................... um dia a essencialidade
.................... claro dia, escuro
.................... as raias da adversidade, dias

.................... dia sim, dia sonâmbulo
.................... dia não, dia nonsense
.................... um dia aberto para os entulhos
.................... dia luz, abajur de barro, um dia consolidado

.................... um dia absorvo, um dia engodo
.................... um dia tubérculos reincidentes
.................... um dia chovo: brotos ao contrário
.................... um dia o estagiário pôs fogo no escritório – simplesmente

.................... um dia o judeu é turco, o turco do Líbano
.................... um dia o mundo é Oriente – somo-nos
.................... nem médio, nem mínimo, só o todo, dia:
.................... e a granada de mão pode despedaçar o argumento, a
sustos

.................... um dia a malacacheta caiu da bacia
.................... um dia a alforria liberou Melquíades
.................... um dia a rodela era o que prendia, prendia
.................... um dia, ao meio do dia, o sol virou escudo e não caiu como
antigamente

.................... um dia pi, um dia fá sustenido
.................... um dia a melodia é pelas arestas do canyon
.................... um dia vi, um dia eu estava indistinto
.................... um dia a mancha do vinho se espalhou na grande avenida

.................... um dia distorcido, um dia filme nítido
.................... um dia distingo, um dia contemplo com tanta burrice
.................... um dia viabilizo, dia de circos, discos, contexto
.................... um dia é o xaxim no vaso, e o vaso é solto felizmente

.................... um dia crítico, um dia não critico
.................... um dia crianças criam mudas no campo abastado,
eloquente.
.................... um dia fabricam poças de vidro mas elas derretem-se rebeldes
.................... um dia é utensílio, penduricalho delicado na noite
.
.................... um dia a noite é o claro, e o escuro
.................... um dia a noite é a essencialidade
.................... um dia farejando os átomos o cão descobriu o lucro
.................... o lucro do dia (ser claro, ser fosco) ser adverso nos
escuros do núcleo

.
.
fev.07
.
.

Nenhum comentário: