a manuel bandeira por seu ´evocação do recife´

.
.
.
......... ... ... Rua Geraldo Bourroul
....... ..... ... onde eu brincava de caçador (ou queimada)
....... ..... ... com os meninos da rua
....... ..... ... Lá também tinha as primeiras meninas
....... ..... ... E a rua foi sempre muito pequena

....... ..... ... Pequena não de ser apertada
...... ..... .... Mas pequena por carinho (que coisa
...... ..... .... pequena é mais fácil de ter graça;
...... ..... .... quanto mais naquele tempo
....... ..... ... quando também éramos pequenos
........ ..... .. e tínhamos graça de nós todos.)

........ ..... .. Rua do Bourroul...
........ ..... .. eu sempre pensei que seu chão era feito de grafite.
....... ..... ... Hoje o chão do asfalto é polido
....... ..... ... e tem calçadas coloridas
....... ..... ... de pedaços diferentes
....... ..... ... .............. cada qual com cada cor.
...... ..... .... Existem casas modernizadas
........ ..... .. portões de ferro estrangeiro
....... ..... ... e cães de raça também.

....... ..... ... No meu tempo de pequeno, ...... de queimada
...... ..... .... o asfalto era sem graça
....... ..... ... porque a graça estava em nós
....... ..... ... e nós que dávamos graça pro asfalto.

........ ..... .. Eram casas todas brancas e amarronzadas
....... ..... ... E as calçadas eram lisas, ...... sem enfeite de outra gente
........ ..... .. ............ Apenas calçadas pra gente subir
........ ..... .. e fugir dos carros
.......... .....  ...................... de vez em quando
...... ..... .... quando corriam atrás da bola.
...... ..... .... – Era o que a gente queria.

...... ..... .... As casas todas eram uma só
...... ..... .... e sorriam junto com a gente quando
....... ..... ... o vendedor de cascalho passava
....... ..... ... desfilando de cascalho
....... ..... ... e o mundo todo parava
....... ..... ... .............................. pra esperar ele passar.
........ ..... .. As coisas todas eram uma só.
....... ..... ... Os doces que eu mastigava junto com as brincadeiras
....... ..... ... As músicas que eu cantava
...... ..... .... o nome Geraldo ...... parado na placa
....... ..... ... da entrada da rua
...... ..... .... (nem parecia que era de morto,
........ ..... .. ..... de alguém que já tinha ido embora...)

....... ..... ... Não pensei que as casas modernas fossem chegar
........ ..... .. Nunca pensei isso.
......... ..... . Que fossem pintar o Marrom de preto
....... ..... ... e o Branco fossem deixar gastar
....... ..... ... fossem deixar queimar no sol, ...... assim como se
....... ..... ... fosse qualquer coisa.

....... ..... ... A mecânica do tio Zé
....... ..... ... (mecânica N. S. da Aparecida)
..... .......... ..... .................................. foi despedida da rua.
....... ..... ... O tio Zé ficou.
.......... .....  ................. (mas não existe mais tio Zé
..... ...... ..... ................. sem a mecânica)

........ ..... .. Como a rua passa...
........ ..... .. Igual a um rio que passa
..... ....... ..... .............................. e é contínuo
........ ..... .. sem transbordar ...... sem revolta
.......... .....  .............. mas como dói.

....... ..... ... E as ruas se enlaçam como um labirinto
....... ..... ... de lembranças
....... ..... ... Como jogo de sentimentos
..... ............ ..... ........................... que mais parecem sonhos
..... .......... ..... .......... – sonhos brancos e amarronzados.

........ ..... .. Capanema
...... ..... .... – Caponema.
...... ..... .... Perto da Geraldo Bourroul
....... ..... ... tinha a outra rua de nome esquisito
..... ..... ..... .............. que ligava a minha casa
..... ............... ..... ................................... à rua de baixo
....... ..... ... Nós todos
....... ..... ... Meu tio —— Nelson
....... ..... ... Meus irmãos —— maiores
...... ..... .... Minha mãe —— mãe de meus irmãos

...... ..... .... vivemos um pouco por estes atalhos
....... ..... ... – essas mãos entrelaçadas
........ ..... .. ............... cheias de cheias
.......... .....  ............... de homens,
..... ..... ..... ............... cães deitados no meio do caminho.
........ ..... .. Capanema
........ ..... .. – Capoema.

....... ..... ... Hoje eu tive que passar por essa rua
........ ..... .. E a caminhada foi antiga, ...... foi lenta
....... ..... ... foi indo embora e ficando
..... ...... ..... ............................... como a infância.
........ ..... .. A casa de dona Ana estava lá
....... ..... ... O carteiro passava chutando a bola
....... ..... ... Tio Zé gritava com as ferramentas
....... ..... ... E ainda havia um pouco de cascalho
........ ..... .. no chão da rua
..... ........ ..... ............... bem no meio do grafite.

........ ..... .. Apesar das curvas do rio
.......... .....  ....... tudo ainda parece impregnado
....... ..... ... de
....... ..... ... .. cadeiras na calçada
......... ..... . .. jogo de queimada menina e meninos
..... ..... ..... .. de casamento de espanhol
..... ........ ..... ................. com chuva e com sol.
....... ..... ... E o nome Bourroul lembra minha avó
....... ..... ... .. que já se foi como ele
........ ..... .. .............. e que passou por aqui
.......... .....  .............. quando eu era pequeno.

.
set.87
.
.
..

.

Um comentário:

edu brito disse...

e aquele "mas como dói", é claro, é drummondiano...