baleia em minas

.
.
.
.
.
........                                 .......           ..... ... na estrada de Minas
........                               .......            ...  ..... eis que capta-se
........                            .......                 ........ pelo olho da máquina
...........                       .......                      ..... uma baleia


.

4 comentários:

bia reinach disse...

Edu, edu, edu.... de volta a ativa!
E de baleia...poderosíssimo Edu!!!!!
Todos os dias visito o blog... e hoje... cá está você.
Delícia total!

Fred Caju disse...

Hahahahahahahahaha!
Não seria um Yellow Submarine?
Abraços.

Anônimo disse...

Caro Edu,

sem querer ser chato ou purista, não seria "eis que se capta"? O "que" não exige a próclise? De todo modo, é bela a sua baleia aérea. Abraços!

Edu disse...

Caro Anônimo... tem razão. Mas eu sempre me pergunto: esse tipo de exigência, de onde vem? Ora, da Senhora Gramática, da Senhora Língua, da Senhora Cultura, do nosso honestamente querido Senhor Português - certo. Mas confesso achar esses seres todos um tanto neblinosos. Por mais estudo e dedicação que se possa pôr às costas. Porque há outra coisa, outra honestidade querida: a lida com a língua, com as palavras, os sons delas, seus sentidos, seus tormentos indícios contingências atritos inesperadas faíscas. E daí... daí que as exigências tenham um pouco de resguardo; ou de compostura. Porque ´eis que capta-se´ me parece mais capturador do que se fosse ´que se capta´. Um abraço!